As 10 principais imagens de coisas invisíveis

16

Os olhos humanos são limitados. Mas, graças a simulações e fotos reais, as pessoas agora podem ver o mundo invisível como nunca antes. Podemos contemplar brilhos misteriosos ao redor das flores, um átomo (não ampliado) e até mesmo a velocidade da luz.

Mas nem tudo é bem combinado. Um novo tipo de OVNI subiu aos céus. As pessoas estão divididas quanto à autenticidade dos enigmas infravermelhos que são invisíveis a olho nu.

10 das fotos mais poderosas da última década

10 Halo de Andrômeda

Quando os observadores das estrelas olham para o céu noturno, eles veem muitos brilhos. Mas algo mais está lá – apenas os olhos humanos não podem ver. Halos galácticos são nuvens de gás que envolvem cada galáxia, quase como uma atmosfera. A bolha de nosso vizinho galáctico mais próximo, Andrômeda, tornou-se visível em 2020.

Se a simulação fosse uma coisa real na natureza, alguém passeando com seu cachorro à noite veria um brilho violeta 100 vezes maior que a lua. Mas os pesquisadores criaram o halo por outras razões que não para tornar o horizonte bonito à noite. Das duas galáxias, a nuvem da Via Láctea é a mais difícil de estudar. Qualquer informação coletada de Andromeda pode fornecer pistas sobre o que nosso halo fez no passado e como ele evoluirá no futuro.

Para mapear a atmosfera invisível de Andrômeda, os cientistas observaram como a luz ultravioleta se comportava ao viajar através do gás. Para encurtar a história, essa técnica traçou os contornos da nuvem. Era enorme, atingindo 1,85 milhão de anos-luz no espaço. Ainda mais surpreendente, o halo consistia em duas formações em forma de concha aninhadas uma na outra.

Mas, realmente, a maioria dos terráqueos apenas se preocupava com o lindo brilho violeta.

9 Onda de choque de uma explosão

Quem não ama uma instalação governamental isolada? Eles espalham rumores de alienígenas, novas tecnologias – e, neste caso, uma foto notável. Longe da civilização, a agência canadense de Pesquisa e Desenvolvimento de Defesa possui um vasto pedaço de pradaria. Este é o lugar perfeito para explodir coisas.

Em 2015, a agência detonou explosivos durante um teste. Alguém no local tirou uma foto da bola de fogo e inesperadamente capturou a onda de choque da explosão. O último acontece quando algo viaja (ou se expande) mais rápido que a velocidade do som, provocando uma mudança brusca na pressão. As ondas de choque geralmente são visíveis apenas na água ou quando se curvam do fundo de uma explosão.

Mas a imagem de 2015 capturou uma onda de choque no ar. O que torna a fotografia ainda mais excepcional foi a clareza. A forma da onda de choque era claramente visível, circundando a explosão com um borrão semelhante a uma bolha.

8 Um campo magnético em formato de X surpreendente

NGC 4217 tem um nome chato. Mas a galáxia espiral atingiu o livro dos recordes quando uma imagem de seu campo magnético foi criada em 2020. Quase nada se sabe sobre como as galáxias geram seus próprios campos. Mas sentir suas proporções não é um mistério. Para remover o manto de invisibilidade em torno de um campo magnético galáctico, os cientistas simplesmente medem a velocidade e o comportamento dos raios cósmicos na área.

O campo magnético da NGC 4217 revelou-se colossal, atingindo 22.500 anos-luz no espaço. Também tinha a forma de um X. Mas nenhum dos recursos era novo. Existem outras galáxias espirais com campos em forma de X que se estendem por milhares de anos-luz. No entanto, quando a imagem foi revelada, ela revelou fenômenos misteriosos dentro do campo que nunca haviam sido vistos antes.

Por um lado, bolhas gigantes de gás balançavam e também eram magnéticas. Havia outro campo magnético que subia em espiral. A descoberta mais estranha foram loops que estavam sendo jogados para fora.

7 Ondas de gravidade sobre a Austrália

Ninguém está argumentando que a vida selvagem australiana é estranha e maravilhosa. Mas, aparentemente, o lado invisível do continente é tão estranho. Em 2019, um satélite meteorológico capturou algo ondulando sobre a Austrália. Um olhar mais atento identificou o fenômeno como ondas de gravidade.

Para ser justo, as ondas gravitacionais também ocorrem em outros lugares. Mas vê-los é incrivelmente raro. Normalmente invisíveis, as coisas tomaram um rumo interessante quando uma tempestade varreu o ar frio para a atmosfera na costa noroeste. O frescor empurrou com o ar mais quente da região e produziu condensação suficiente para criar nuvens curvas.

As nuvens eram curvas porque se formaram ao longo das cristas das ondas de gravidade, o que também tornou as ondulações visíveis aos satélites. As ondas em si foram o resultado da gravidade da Terra tentando trazer equilíbrio à atmosfera depois que a tempestade causou uma diferença caótica de temperatura.

6 Matéria escura

Essa gosma preenche 85% do universo. Mas sendo o espaço o lugar estranho que é, a matéria negra é um grande fantasma. Não há como olhar diretamente para as coisas. A única maneira pela qual os cientistas sabem que a matéria escura existe é a maneira como sua gravidade empurra outra matéria e luz. Também existe uma teoria de que a matéria escura forma halos em torno das galáxias. Segure esse pensamento.

Os pesquisadores recentemente colocaram tudo o que tinham em uma simulação. O Harvard & Smithsonian Center for Astrophysics baseou o teste em uma teoria popular (que a matéria negra consiste em manchas chamadas partículas massivas de interação fraca). Para ver se as partículas se comportavam da mesma forma, não importando o tamanho de seu mundo, a simulação criou matéria escura em uma escala de 30 magnitudes diferentes. Com certeza, a matéria escura se enrolou em halos ao redor das galáxias. Porém, o mais encorajador é que formou halos em todas as escalas de massa – mesmo aquelas muito pequenas para serem vistas.

Como a mesma coisa aconteceu em todo o quadro, os halos agora são reconhecidos como uma feição de matéria escura. Curiosamente, a simulação também mostrou que os anéis eram difusos nas bordas e mais densos perto do centro.

60 imagens impressionantes do Oriente Médio que farão você esquecer seu passado violento

5 Rastros de pássaros no céu

Uma pergunta assombrou o fotógrafo amador de Barcelona, ​​Xavi Bou, por muito tempo. Como são as pegadas dos pássaros? Mas ele não estava olhando para o chão. Bou estava olhando para o céu. Sua imaginação viu ondulações como as de uma cobra seguindo o rastro de cada pássaro. Há alguns anos, ele encontrou uma maneira de fotografá-los.

Bou usou uma câmera de vídeo para filmar diferentes espécies de pássaros em vôo. Ele então compilou os quadros em uma única imagem. A fotografia mostra a posição de cada pássaro avançando, quadro a quadro, para criar "trilhas" hipnotizantes ao longo dos caminhos que os pássaros tomam.

4 A velocidade da luz em câmera lenta

Não há nada mais rápido do que a velocidade da luz (Desculpe, Flash). Viajando a 186.000 milhas por segundo (300 milhões de metros por segundo), ninguém sabia como era a velocidade da luz. Está certo. Pretérito. Em 2019, os pesquisadores montaram algo que combinava com sua presa – a câmera mais rápida do mundo.

Chamado de T-Cup, ele gravou um laser disparando através de uma garrafa de leite. Por que suco de moo? As moléculas de leite espalham partículas de luz e as tornam mais visíveis. A T-Cup capturou o evento ao filmar incríveis 100 bilhões de quadros por segundo. Para fazer um filme, são necessários apenas 24 quadros. Nem mesmo a luz conseguiu escapar das fotos selvagens da câmera.

Mesmo assim, a velocidade da luz só podia ser vista em câmera lenta (o laser atravessou a garrafa a uma velocidade vertiginosa de 2 bilionésimos de segundo). A filmagem mostrou um borrão azul riscando o leite. Embora não seja a visão mais espetacular, a conquista foi notável.

3 O brilho das flores

No mundo da fotografia, existe uma técnica chamada UVIVF (fotografia de fluorescência visível induzida por ultravioleta). Essa magia faz com que as coisas fiquem fluorescentes. Quando uma fotografia é tirada durante uma sessão UVIVF, ela captura a luz invisível que irradia de um objeto. Os resultados são impressionantes.

Em 2018, o fotógrafo Craig Burrows usou a técnica em flores. As fotos pareciam algo de outro reino. Cores incomuns, brilhos e matizes cintilantes brilhavam ao redor das plantas.

Os pesquisadores ainda não conseguiram decifrar o enigma do papel que a fluorescência ultravioleta desempenha na natureza. No entanto, as fotos das flores mostraram que o pólen era especialmente brilhante. Isso acrescentou mais influência a uma velha teoria de que as flores usam fluorescência para atrair polinizadores.

2 Uma nova raça de OVNIs (talvez)

Uma das afirmações mais estranhas que vem da comunidade OVNI é que os céus estão cheios de objetos voadores invisíveis. Muitas pessoas rastrearam esses OVNIs com câmeras de visão noturna. O veredito? Que existe um novo tipo de OVNI que emite luz infravermelha e é indetectável. Algumas testemunhas chegaram a afirmar que testemunharam batalhas entre essas embarcações.

Os céticos não concordam. Eles acham que a “frota invisível” nada mais é do que aviões, mariposas, morcegos e satélites ampliados por dispositivos infravermelhos. Mesmo os casos dramáticos não recebem o amor dos cientistas. Quando, em 2012, uma sociedade paranormal no Texas capturou a imagem de um OVNI silencioso e flamejante em forma de triângulo, foi descartado pelos cientistas como sendo nada mais do que um drone militar com luzes infravermelhas.

1 Um átomo preso

David Nadlinger se recusou a acreditar. A sabedoria convencional dizia a ele que os átomos eram muito pequenos para serem vistos a olho nu. Mas o físico queria contemplar um átomo sem óculos especiais ou ampliação. Em 2018, ele conseguiu. Encantado, Nadlinger tirou uma foto. Ele não foi o único estudioso feliz – a imagem recebeu o prêmio máximo em uma prestigiosa competição científica do Reino Unido.

Nadlinger prendeu o átomo entre campos elétricos antes de estabilizá-lo dentro de uma câmara de vácuo. Duas agulhas, separadas por 2 mm (0,08 pol.), Mantinham a partícula entre elas. Um laser azul-violeta tingiu o átomo de azul – e tornou-o visível a olho nu. Um dia, esse feito pode ajudar na criação de computadores quânticos ou algo igualmente tecnológico. Mas agora, oferece uma oportunidade incrível de olhar diretamente para os blocos de construção da matéria.

As 10 principais fotos de astronomia que fizeram história

Jana Louise Smit

Jana ganha seu feijão como escritora e autora freelance. Ela escreveu um livro sobre um desafio e centenas de artigos. Jana adora caçar fatos bizarros da ciência, da natureza e da mente humana.

Consulte Mais informação: Facebook Smashwords HubPages

Fonte: List Verse

Autor original: JFrater