ByteDance chega a acordo para vender operações americanas da TikTok

10

A ByteDance, empresa controladora da TikTok, concordou em vender suas operações americanas para impedir que o governo Trump a proíba nos EUA, de acordo com Reuters.

Não ficou claro no sábado como o acordo envolveria a Microsoft ou se impediria uma proibição, mas Reuters informou que a Microsoft ficaria encarregada de proteger os dados dos usuários americanos e que o plano permitiria que outra empresa americana assumisse o controle do TikTok nos EUA.

O governo ameaçou banir o aplicativo de compartilhamento de vídeo por várias semanas; Secretário de Estado Mike Pompeo disse em 7 de julho uma proibição era "algo que estamos vendo". O presidente Trump disse na sexta-feira "estamos proibindo-os dos Estados Unidos", mas não forneceu outros detalhes além do que ele planejava tomar medidas já no sábado.

Vanessa Pappas, gerente geral dos EUA da TikTok, disse em um vídeo no sábado que "não estamos planejando ir a lugar algum" e a empresa está "aqui a longo prazo".

A TikTok é uma subsidiária da ByteDance, com sede em Pequim, e foi examinado por suas práticas de privacidade e possíveis laços com o governo da China. Pompeo comparou o TikTok à Huawei e à ZTE, duas empresas chinesas que o governo Trump designou como ameaças à segurança nacional dos EUA.

No mês passado, usuários do TikTok e fãs de K-pop incentivaram os seguidores a compre ingressos para a manifestação do presidente Trump em Tulsa, mas não aparece, na tentativa de deixar os assentos no comício vazios. A participação no rally foi menor do que a campanha de Trump esperava.

Relatórios na sexta-feira sugeriram que o governo Trump potencialmente forçaria Proprietário chinês do TikTok para aliená-lo, e vários relatórios publicados indicaram Microsoft estava em negociações avançadas adquirir a empresa.

A lei dos EUA não tem precedentes para bloquear software, do jeito que Grande firewall da China faz.

Em desenvolvimento…

Fonte: The Verge