Funcionários da Blizzard saíram em protesto após proibição de jogadores pró-Hong Kong

13

Uma dúzia de funcionários da Blizzard saiu do trabalho na terça-feira em protesto à decisão da empresa de proibir um profissional Hearthstone jogador que manifestou apoio aos manifestantes de Hong Kong no fim de semana, de acordo com The Daily Beast.

Os funcionários se encontraram em uma estátua gigante representando um Orc Warrior fora dos escritórios da Activision Blizzard na Califórnia. De acordo com Fera, os funcionários entraram e saíram à medida que o dia continuava e terminava com cerca de 30 trabalhadores simultâneos. Alguém que afirma ser funcionário da Blizzard postou uma foto de trabalhadores sentados ao lado da estátua no subreddit do r / Hearthstone, onde foi recebido elogios de membros da comunidade Reddit.

No início desta semana, Nevasca proibida profissional Hearthstone O jogador Ng “Blitzchung” Wai Chung participou de torneios por um ano depois de ter gritado um slogan pró-Hong Kong durante uma entrevista pós-jogo. “Libere Hong Kong. Revolução da nossa era! – disse Blitzchung com a boca coberta por uma máscara semelhante à que os manifestantes usam.

A Blizzard também está retendo quaisquer ganhos que Blitzchung teria recebido por sua participação no torneio Grandmasters deste fim de semana passado.

Além de seus próprios funcionários, a Blizzard foi criticada por legisladores, outros desenvolvedores de jogos e suas comunidades de jogadores. Na terça-feira, O senador Ron Wyden (D-OR) disse, "A Blizzard mostra que está disposta a se humilhar para agradar o Partido Comunista Chinês". Ele continuou: "Nenhuma empresa americana deve censurar os pedidos de liberdade para ganhar dinheiro rapidamente".

Epic Games, desenvolvedora de Fortnite, contou The Verge este apoiaria os direitos de fala de seus jogadores e se recusam a bani-los por suas crenças políticas. "A Epic apóia o direito de todos de expressar suas opiniões sobre política e direitos humanos", disse um porta-voz da empresa.

Fonte: The Verge