Ministro: possível indicação de Eduardo Bolsonaro a embaixada nos EUA não contraria a lei

13


Segundo Ramos, já houve indicações de políticos para embaixadas, como o ex-presidente Itamar Franco, embaixador do Brasil em Portugal em 1995

Antonio Cruz/Agência BrasilO ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República, Luiz Eduardo Ramos

O ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República, Luiz Eduardo Ramos, disse nesta sexta-feira (12) que a possível indicação do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) como embaixador do Brasil nos Estados Unidos não contraria a lei. Ele reuniu jornalistas para um café da manhã no Palácio do Planalto.

Segundo Ramos, já houve indicações de políticos para embaixadas, como o ex-presidente Itamar Franco, embaixador do Brasil em Portugal em 1995. Para o ministro, entretanto, o anúncio poderia ter sido feito durante o recesso parlamentar, já que gerou ruídos durante a votação dos destaques da reforma da Previdência na Câmara.

“Acabaram se utilizando disso. Vários deputados citaram a nomeação, que não tinha nada a ver com a votação”, afirmou.

O ministro ainda pediu calma no debate, ressaltando que Bolsonaro “tem esses momentos” em que manifesta suas intenções, mas que é preciso “aguardar os acontecimentos”.

Em transmissão ao vivo em sua página no Facebook, o presidente disse que vai esperar o momento certo para decidir se vai indicar ou não o filho para o cargo. “Foi aventada, sim, essa possibilidade. O garoto fala inglês, espanhol, tem vivência no mundo todo e é amigo da família do [presidente dos Estados Unidos] Donald Trump”, disse. “Ele quer o desenvolvimento para o Brasil, não é um aventureiro”, completou.

*Com Agência Brasil

Essa notícia foi extraída do site da Jovem Pan.

Fonte: Jovem Pan

Autor: Jovem Pan

Facebook Comments