Reajuste do diesel: presidente da Petrobras diz que Bolsonaro apenas ‘alertou para riscos’

26


VALE/DIVULGAÇÃO/JC“Ninguém ordenou a Petrobras que reajustasse. O presidente alertou para os riscos”, afirmou Castello Branco

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, negou nesta segunda-feira, 15, que tenha havido qualquer tipo de intervenção de Bolsonaro na decisão da estatal de recuar no reajuste do preço do diesel. Ele admitiu, no entanto, que o presidente da República “alertou para os riscos” do reajuste.

“A Petrobras é livre”, disse. “A decisão foi tomada pela Petrobras, ninguém ordenou a Petrobras que reajustasse. O presidente alertou para os riscos”, afirmou.

Segundo ele, irão “decidir o quanto vai ser reajustado ou não”, frisando que essa é uma decisão empresarial, “diferente do governo, que é de políticas públicas”.

A fala de Castello Branco se dá em um contexto em que o próprio presidente Jair Bolsonaro admitiu ter ligado ao presidente da estatal para falar do reajuste de 5,7% que seria feito no preço do óleo diesel na última sexta-feira (12), e que acabou não ocorrendo. Depois do episódio, a Petrobras perdeu R$ 32 bilhões em valor de mercado.

O presidente da petrolífera se recusou a responder se a empresa avalia estender o tempo de reajuste do combustível às refinarias Atualmente, o valor do diesel é modificado a cada 15 dias, no mínimo, embora caminhoneiros pleiteiem um prazo mais alongado. A periodicidade foi decidida em março e comunicada ao mercado pela companhia. Antes, os prazos de reajuste do preço eram menores. “Essa é uma decisão operacional”, afirmou Castello Branco.

O presidente negou que o reajuste de preços tenha sido discutido na reunião no Planalto. Quando perguntado novamente, afirmou que “não tem nenhuma decisão” sobre o valor do diesel. “Uma coisa é a Petrobras, outra é o governo. O governo quer abordar a questão dos caminhoneiros”, completou o presidente da estatal.

Quando perguntado se reajuste vai voltar a ser reativado, respondeu que não fez “nenhuma afirmação nesse sentido”. “Seja paciente que você terá a resposta. Medidas vão ser tomadas pelo governo. O que a Petrobras vai fazer… nós temos tempo”, disse quando perguntado sobre o que se pode esperar para os próximos dias.

Castello Branco disse ainda que o cartão caminhoneiro da BR Distribuidora está em desenvolvimento e deverá ser lançado entre o fim de junho e início de julho.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Fonte: Jovem Pan

Autor: Jovem Pan

Facebook Comments