Você pode culpar a Nvidia, e não apenas a Activision Blizzard, por sua queda no GeForce Now

13

Quando aprendemos isso Serviço de jogos em nuvem GeForce Now da Nvidia estava perdendo o acesso para todos os jogos da Activision Blizzard apenas uma semana depois de sair da versão beta, admito que meu primeiro pensamento foi que talvez uma empresa míope e que usava dinheiro tenha decidido pegar a bola e voltar para casa.

Naquela pode ainda é o que aconteceu, mas acontece que havia um problema mais urgente: a Nvidia não conseguiu permissão para manter seus jogos no GeForce Now após o lançamento.

Enquanto a Nvidia confirmou The Verge que, de fato, procurou a Activision antes do lançamento para perguntar se a empresa gigante de jogos estava bem com seus jogos na versão paga do serviço, houve um "mal-entendido" sobre se a Activision realmente deu essa permissão.

(Narrador: não.)

Aqui está uma declaração da Nvidia:

A Activision Blizzard tem sido uma parceira fantástica durante a versão beta do GeForce Now, que adotamos para incluir o período de teste gratuito da associação de nossos fundadores. Reconhecendo o mal-entendido, removemos os jogos do nosso serviço, na esperança de podermos trabalhar com eles para reativá-los e muito mais no futuro.

Essa reconciliação pode não acontecer, no entanto. De acordo com Bloomberg – que relatou o "mal-entendido" anteriormente – a Activision Blizzard queria negociar um novo acordo comercial antes que a Nvidia pudesse servir os jogos, e a Nvidia ficou bastante clara de que seu modelo de negócios é não ter acordos comerciais com editores de jogos. Em vez disso, ele quer permitir que os jogadores comprem seus jogos em plataformas existentes, como Steam, Epic, UPlay e Battle.net e os joguem no GeForce Now da mesma maneira que os jogariam em seu PC doméstico, dando aos editores a mesma quantia de dinheiro que gastam. teria normalmente.

Um porta-voz da Activision Blizzard nos diz que não existe um acordo comercial como esse.

Em outras palavras, a Nvidia deveria ter realmente puxado os jogos da Activision Blizzard adiante do seu lançamento na semana passada, como aconteceu com jogos de outras editoras hesitantes como Capcom, Konami, Rockstar e Square Enix. (Na época, Phil Eisler, chefe da GeForce Now, me disse que alguns editores "estão demorando um pouco para se decidir", para que seja possível que eles voltem.)

Mas como a Nvidia não os puxou originalmente, agora temos dois Um conjunto de manchetes informando que serviços como o GeForce Now são tão bons quanto os acordos de distribuição legais permitem. Você pode pensar que é "dono" de um jogo digital, mas isso nem sempre lhe dá a capacidade de jogá-lo em um computador que você está alugando na nuvem.

PCWorld's título na semana passada ecoa meu pensamento: "Isso é péssimo".

A propósito, nada disso tem a ver com A recente parceria plurianual da Activision com o Google; os jogos não vão necessariamente para o serviço de jogos em nuvem Stadia do Google. Por um lado, seria necessário portá-los para execução nos servidores baseados em Linux da Stadia; por outro, a parceria é sobre o YouTube e o Google Cloud, não a Stadia. A empresa disse em sua chamada de ganhos Q4 que a Stadia não faz parte do acordo.

"No momento, estamos focando o trabalho entre a Activision Blizzard e o YouTube e o Google Cloud especificamente", disse um porta-voz da Activision Blizzard. Aí está.

Fonte: The Verge